Notícias

Sunshine Tour: Adilson da Silva estreia entre os Top 30 do Swazi Open

03/05/2017

Brasileiro foi vice-campeão, em 2016, nesse raro torneios profissional no sistema stableford

adilson-da-silva-finish-invert

 

.bandeira sualizandia

Sunshine Tour, que o gaúcho Adilson da Silva começou a jogar nesta quarta-feira, 3 de maio, na Suazilândia

Esse pequeno (17 mil km²) e montanhoso país do sul da África fica encravado entre Moçambique a África do Sul e tem a mais alta taxa de contaminação vírus da AIDS no mundo, com um terço da população sendo portadora, e a expectativa de vida é também a menor do mundo, menos de 50 anos (dados da ONU). Mas o Reinado da Suazilândia tem uma linda bandeira tribal (ao lado).

Brasileiro – Adilson, que foi vice-campeão desse torneio, em 2016, e vem de um quarto lugar no Zambia Open, no último domingo, estreou nesta quarta-feira em 27 lugar, com apenas 9 pontos marcados. O profissional gaúcho jogou 68, quatro abaixo, com cinco birdies e um bogey, mas terá que melhorar muito para voltar a ter chances de lutar pelo título.

O topo do placar está dominado pelos sul-africanos. JJ Senekal fez nove birdies e um bogey para liderar com 17 pontos, seguido por Teaghan Gauche e Tyrone Ferreira, com 16 pontos, e Luke Jerling, com 15. Há cinco jogadores com 14 pontos. Os 16 primeiros e empatados marcam pontos para o ranking mundial de golfe.

Stableford Modificado – Vale lembrar que os profissionais usam o sistema stableford modificado, onde você tanto ganha pontos, como perde (-1 para bogeys e -3 para duplos bogeys, ou pior). Pares não dão pontos. Birdies valem 2 pontos, eagles, 5 e albatrozes, 8. No caso dos profissionais, o objetivo do stableford não é economizar tempo, mas encorajar um jogo mais agressivo uma vez que o risco tende a ser menor que o benefício.

O sistema stableford modificado é usado também no PGA Tour dos EUA, no Reno-Tahoe Open, desde 2012, ano em que Alexandre Rocha foi vice-campeão, a uma tacada do título que podia ter mudado sua sorte no circuito mundial. Também foi usado no Tour Europeu, no ANZ Championship, de 2002 a 2005, e em dois torneios do Champions Tour (Sênior): Royal Caribbean Classic em 2000 e 2001, e no Uniting Fore Care Classic, em 2002.